Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




arq-tipografia

por sapoprincipe, em 29.06.11

 

by Cláudio Luiz

 

Av. Nossa Senhora de Copacabana - Rio de Janerio - Brasil

 

Esta foi a primeira  arq-tipografia que me chamou a atenção. Depois a do Monte Pascoal veio cofirmar que era algo para se prestar atenção. Com isso veio toda uma diversidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30

casamento do ano

por sapoprincipe, em 24.06.11

by Cláudio Luiz

 

Felicidades aos noivos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:00

arq-tipografia

por sapoprincipe, em 21.06.11

 

by Cláudio Luiz

 

Rua pastor manoel avelino de souza, Niterói / RJ - Brasil

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

a sua mais completa tradução

por sapoprincipe, em 13.06.11

Hoje, dia de Santo António (assim com acento agudo como escrevem os portugueses), é festa em Lisboa. Com direito a marchas – o verdadeiro carnaval de lá.

Não tenho a menor dúvida que foram a minha mana Paula e o doce amigo Jorge que me fizeram amar Portugal – em particular Lisboa – e mais do que isto, me sentir em casa. Fazer parte.

Mas, também, tenho que destacar um brasileiro que conheci lá. Acho a mais completa tradução da cidade. Pelo carinho que tinha (tem) pela cidade, pela forma de descrevê-la e mostrá-la.

Lourival, um gaúcho que conheci lá, me mostrou uma Lisboa fora do circuito turístico e mágica. Ficar hospedado na casa dele era uma festa, sempre.

Como se não bastasse isto, o rapaz é de um talento imenso.

Quando vi este retrato que ele fez pensei logo – quando tiver grana encomendo um.

 

Estas capas são geniais.

  

 

 

Gosto da sofisticação e senso de humor dele. Que pega um tema batido como – ovelha negra – e transforma numa leitura nova.

lourival-logo

Gênio é isto.

Quer ver mais trabalhos dele, visite-o aqui.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:06

pretinho com pérolas

por sapoprincipe, em 09.06.11

 

Dedéia - num email secreto comparando as exigências de sua época de adolescência com os limites a serem impostos aos filhos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:11

cores e nomes

por sapoprincipe, em 08.06.11

Produzir o trabalho de conclusão de curso teria sido mais fácil se eu tivesse o feito de uma tacada só. Mas, ao fim das contas, foi ótimo escrever e um aprendizado ainda maior. Lógico que sem o auxílio luxuoso do Elir o texto viria com várias vírgulas fora do lugar e mais alguns errinhos.

Bem sei que prometer uma série de posts em blog é um fiasco, quase sempre. Todavia, espero discutir mais vezes sobre cores aqui.

Pra já, só uma palhinha da discussão do artigo.
 

Muitas vezes evitamos o uso de cores vivas ou contrastes mais acentuados, e optamos por combinações discretas, pouco perceptíveis ou quase "não cores", por temer os resultados por falta de conhecimento técnico, pela linha adotada pela academia e suas doutrinas ou para evitar críticas se aceitarmos a proposição de Goethe:

 

Uma pintura pode se tornar facilmente berrante, se as cores são dispostas com toda a intensidade. [...] Se, ao contrário, cores fracas, apesar de destoantes, são colocadas lado a lado, o efeito não dá na vista. Sua própria incerteza é transmitida ao espectador, que por sua vez não tem como elogiar, nem reprovar. (GOETHE, 1993, p. 150)

 

Não seriam as cores vivas (saturadas) e os contrastes tão naturais quanto às, segundo Goethe, fracas? Vivianne Pontes (2011), em seu blog De(coeur)ação, questiona este ponto quando fala sobre cores neutras:

 

"A noite, a nuvem, a terra, o dia claro, o dia chuvoso, nossa pele, cabelos, dentes. Vemos estes elementos o tempo inteiro, e nos acostumamos a suas cores de tal modo que as chamamos de 'cores naturais', por falta de um adjetivo melhor. (Como se uma rosa vermelha não tivesse uma 'cor natural')".

 

A posição tomada por Goethe (1993, p.81), de que "homens cultivados evitam cores vivas nas roupas e no ambiente que os cerca, procurando em geral delas se afastar" já não é regra nos dias atuais. "Muita gente abraça calorosamente novos e excitantes usos da cor. Quando a Apple lançou um computador azul, as vendas foram mais rápidas do que de qualquer outro" (FRASER; BANKS, 2007, p.7).
Trabalhar com cor exige empenho, conhecimento técnico, inúmeros testes, controle das variáveis, mas poderá não ser tão difícil quanto parece para se conseguir resultados satisfatórios quando o ambiente for finalizado.

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:11

arq-tipografia

por sapoprincipe, em 07.06.11

by Cláudio Luiz

 

rua do Bonfim, 84/88 - Antiga Tabacaria Veludo - Porto / Portugal

 

Acho que bateu saudade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:07

pretinho com pérolas

por sapoprincipe, em 02.06.11

 

Maliu = mãe da Fal - texto deste post do blogdamaliu

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:11


Mais sobre mim

foto do autor


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D