Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



deu branco

por sapoprincipe, em 16.01.18

Deu branco?
Torça para não ser em um dia de prova.
Ou, quando encontrar aquele velho conhecido que você não vê há tempos. Sempre tem a saída de perguntar - e aí, como está, CARA? (enquanto pensa: Carlos? Marcos? Zé? Mauro? Joaquim?... tentando lembrar o nome). 

Como você definiria a cor branca?
Paz? Você estaria falando pra quem? Porque para os indianos branco é luto.
As cores não têm uma leitura universal. É uma construção cultural. 

Talvez, primeiro coubesse perguntar: branco é cor?
No uso geral, sim. Na simbologia também, pois tem significados não atribuídos a outras cores. Mas na teoria das cores, não. O preto é ausência de cor, o branco é a união de todas elas.
A luz branca, ao passar pelo prisma, se decompõe em várias cores - arco-íris. [não, não é a ditadura gayzista. É só a experiência de Newton. Ou a capa do disco do Pink Floyd, se preferir - rs. O nome correto: refração - o que irá gerar o espectro da luz.]
Ao misturarmos pigmentos de todas as cores, isso já não acontece. Por isso é a cor mais importante para os pintores, pois não pode ser obtida da mistura das outras (como por exemplo o verde, que poderá ser obtido da mistura do amarelo com azul). Ao misturarmos todas as cores, provavelmente, resultará em um cinza "sujo", em função dos corantes e proporções usadas na fabricação das tintas. 

Para os cristãos Branco é o início. Quando Deus criou o mundo, no primeiro dia disse: “Faça-se luz”. E luz é branca. Essa luz aí é branca.
No jogo de xadrez as peças brancas começam, justamente por ser a cor do início (estou começando pelo branco por conta do calendário. Não sei se pensaram nisso quando escolheram Janeiro - início do ano - para a luta da Saúde Mental e atribuíram a cor branca, mas... Jung, por favor, dê uma chegadinha aqui, preciso lhe perguntar uma coisa.).

180116_branco.png

É a cor da inocência, do bem, dos espíritos, dos anjos, dos fantasmas.
Da pureza feminina.
Branco da limpeza e da higiene.
"Branco é o leite, primeiro alimento que o homem recebe. Na história da criação do hinduísmo o mundo consistia em um mar de leite."

Independente de quanto há de lenda na quantidade de denominações de neve e branco que os esquimós têm, temos muitos nomes dados coloquialmente para o branco. Sem contar a nova moda das marcas de tintas imobiliárias e dos esmaltes. Mas podemos listar: branco neve, banco gelo, branco cera, branco giz, branco antigo, branco chumbo, branco diamante, branco amarelado... chega-se a dezenas.
O código hexadecimal para a cor branca pura é #FFFFFF.
CMYK - C:0 M:0 Y:0 K:0 - RGB R:225 G:225 B:225

Na pesquisa da estudiosa Eva Heller "apenas 2% dos entrevistados citaram o branco como cor predileta. E quase a mesma proporção – 2% dos homens, 1% das mulheres – citaram o branco como cor menos apreciada."

Branco
Da Casa (aquela onde mora um maluco hoje).
Das vestes do Papa.
Dos Deuses - Zeus, touro branco (oi Cynthia. Touro também é infiel?); Cristo, cordeiro branco; Espírito Santo, pomba branca.
Do Frio, da neve, do Norte. (Rei do Norte?)
Reis e rainhas na coroação trajam branco.
"Beth" (a amiga de Mari e Mônica V) profere sempre seu discurso anual de abertura do parlamento vestida de branco.
Com fraque sempre se usa gravata branca.
O homem do sapato branco. Óóóóó!

"Branco é o nome de cor mais comum internacionalmente, mas apenas e exclusivamente como nome feminino: “Branca” – em italiano “Bianca” (oi, Mi Merloti!), em francês “Blanche” e “Blanchette”, do nome celta “Genevieve” veio “Jennifer”, do nome romano “Candida” veio “Candy”, e também o inglês “Fenella” e o irlandês “Finola”, traduzidos significam Branca." Em "brasileiro" Branca Barreto Pessoa de Moraes / Suzana Vieira em Duas Caras (oi, odetas).

A embalagem do Chanel nº5.
A T-shirt branca pra combinar com o jeans (Brando/James Dean).
A preferência para roupas íntimas. Dos lençóis (quantos fios?).
A roupa dos enfermeiros, médicos, açougueiros e de quem lida com comida.
Dos colarinhos (aqueles que não pagam pelos crimes).
A roupa de batismo. Da primeira comunhão. Do Vestido de noiva - ops!. ("moda que não é anterior ao fim do século XVIII" e que se impôs somente no século XX. O vestido branco era uma maneira de proclamar a pureza, que estava se casando virgem. Mas, no mundo rural europeu, as noivas se vestiam de vermelho. Cor que o tingimento, feito a partir das raízes da ruiva-dos-tintureiros, ficava mais vivo e não esmaecido como as outras cores. "No dia do casamento, a jovem noiva devia não ostentar a sua virgindade - isso era suposto -, mas vestir o seu mais belo vestido." - Acho digno.). 

Cor dos eletrodomésticos.
Do revestimento das cozinhas e banheiros - ainda hoje muito usado, embora um pouco menos.
Cor da simplicidade. Da descrição. Da modéstia.
O branco aproxima e expande. Um círculo branco sobre fundo preto parecerá 1/5 maior que um círculo, do mesmo tamanho, preto sobre fundo branco.
Para ampliar os espaços - branco - oh, céus! Tem outras hipóteses. E pra você que mora neste pais tropical com luz, luz, luz dá para pintar as paredes de outras cores. Tá, seu apartamento é de fundos, tem janelas pequenas e bate pouca luz, ok. O branco reflete mais luz. Daí eu especificar nos meus projetos tetos brancos (mas não sempre, não é, Wanda?).
O minimalismo, o modernismo, os puros - design branco (oh, céus! de novo).

Branco - cor neutra. Mentira repetida tantas vezes vira verdade - engana incautos. Peças com cores colocadas sobre fundo branco sempre parecerão mais escuras. (quer um fundo neutro? Use cinza médio).
Cor da sabedoria. Da velhice.
Branca é a tez da manhã. (Djavan)

NB - livros utilizados para produção do texto:
Goethe, J. W. - Doutrina das Cores
Heller , Eva - A Psicologia das Cores
Pastoureau, Michel - Dicionário das Cores do Nosso Tempo

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:11

clássico

por sapoprincipe, em 08.11.17

171108_kore.jpg

Kore

No curso Arte & Cor, o Paulo e a Fal apresentaram, na aula 2 (Grécia), as descobertas (mais ou menos) recentes das cores utilizadas nas esculturas da época.
Teríamos o mesmo senso estético se a "cultura grega" tivesse chegado colorida até nós? Manteríamos o conceito "Clássico"?
Continuo achando que o trabalho com cores exige empenho para se chegar a um equilíbrio.
Nossos olhos sempre procuram a placidez do cinza. É quando conseguimos colocar as cores numa combinação que chegará próximo ao cinza que os olhos se "alegram". Quando vemos o verde ao olharmos para uma parede branca, depois de saturarmos os olhos numa imagem vermelha, é porque os olhos estão buscando o equilíbrio (fenômeno conhecido como pós-imagem - cores complementares).
Cores menos saturadas, mais cinzentas e sóbrias são tidas como mais elegantes, sofisticadas (cultura clássica? Os mármores e calcários?). Eu diria apenas mais sóbrias, menos exuberantes.
Sou do grupo que acha que gosto se discute, afinal, conceitos estéticos nos são impostos.
Em meu TCC, destaquei o que Goethe escreve sobre isso no "Doutrina das Cores":
“Uma pintura pode se tornar facilmente berrante, se as cores são dispostas com toda a intensidade. [...] Se, ao contrário, cores fracas, apesar de destoantes, são colocadas lado a lado, o efeito não dá na vista. Sua própria incerteza é transmitida ao espectador, que por sua vez não tem como elogiar, nem reprovar.” (GOETHE, 1993, p. 150)
Então, a escolha pelo branco, bege, pérola, gelo... reflete um pouco de medo da exuberância e de não conseguir um equilíbrio perfeito. Repetindo Goethe - "Não reprovar", mas, também, "não elogiar". Que fique claro.
Conseguir tal equilíbrio é mesmo complicado. Mas, não tenham medo. Ousem.
Até o clássicos gregos ousavam. rs

171108_temple aphaia.jpg

Deusa - Templo de Afaia

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00

exercício

por sapoprincipe, em 10.07.17

As casas são iguais? Têm a mesma altura?

170710_Spadina road_Toronto.jpg

A página era "Fãs identificam lugares ao redor do mundo que poderiam estar em um filme do Wes Anderson". Mesmo sem " Wes Anderson" fazer muito sentido pra mim, cliquei. Entre as fotos tinha esta de Toronto.
Casas geminadas. Quase iguais. O que diferencia mesmo é a pintura das mansardas. Enquanto do lado direito tentaram usar uma cor que se aproximava dos tijolinhos dos andares inferiores, do lado esquerdo apelaram pra fazer unidade com o telhado.
Não é uma imagem preparada para exercícios sobre cor, mas numa olhada rápida você chegou achar que o lado direito parece mais alto?
Ou sou eu que sou maluco mesmo.
Como é uma sensação, uma ilusão, a pergunta direta leva pro racional e perde a mágica (acho eu), mas...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:59

novelo

por sapoprincipe, em 19.01.17

Como um fio puxa o outro, me lembrei desta questão de cores, preferências e combinações.
Nunca soube muito como responder minha cor preferida. Mas minha resposta ficou definida numa discussão no tempo de faculdade.
Estávamos falando sobre combinações de cores e um colega comentou, peremptoriamente, que vermelho e preto era horrível. Ao que respondi, com o exemplo que citei no outro post, que uma mulher vestindo um pretinho básico com uma rosa vermelha na mão ou um colar de rubis seria uma composição elegante.
O papo avança e uso outra imagem - uma travessa de arroz decorada com orquídeas roxas (como tenho um amigo que faz coleção de orquídeas, na época, pude até abusar e dizer que seria uma - Cattleya labiata - branca com o labelo roxo - rs) sempre seria mais atrativa. Ai, os arroubos juvenis, rs.
A partir desse dia, começaram a dizer que eu gostava de roxo. E acabei por adotar como escolha, para ter uma resposta.
Embora eu preferisse mesmo plagiar Walter Gropius e responder que minha cor preferida é o colorido.
Ou fazer como um amigo que é vitrinista e responder:
- Para me vestir, gosto de beges e tons terrosos; para decoração da minha casa, o branco; e pra fazer vitrine, o roxo.
Diga-se de passagem, também na época da faculdade, ele fez uma vitrine de natal toda em roxo em minha "ômenage".

170119_roxo.png

E você, diga-me, qual é a sua cor preferida?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:51

...e aos que amam

por sapoprincipe, em 14.07.16

160714_josef_albers.jpg

 via google imagens

"as aparências enganam aos que odeiam e aos que amam..."

Sim, as aparências enganam. Sempre ... ou quase sempre.
Tenho cara de bonzinho e sou bonzinho. Exceção que confirma a regra? rs
Mas, vamos falar de cor. Os azuis são sempre azuis?
Josef Albers - uma artista e professor da bauhaus e grande estudioso da cor - no seu livro "a interação da cor" afirma que "a cor é o meio mais relativo dentre os empregados pela arte. Para utilizar a cor de maneira eficaz é preciso reconhecer que a cor sempre engana."
O livro é basicamente um manual de como ensinar / dar aula sobre cor.
Além de evocar inúmeras leituras (construção cultural), pela interação as cores podem produzir resultados distintos das leis e regras. Cores diferentes que parecem iguais ou a mesma cor que parece diferente. Como na imagem acima. É um dos exercícios propostos no livro. Com as cores azul escuro e amarelo em papel solto nas pontas que ao serem levantados mostram que a tira de papel marrom (?) é única.
Vc achou que era a mesma cor? Confesse que não.
Este tema veio ao de cima depois do post anterior. Eu só me dei conta depois de ter postado. Com a brincadeira com o zentangle (que nem pode ser colorido eheheh) eu fiquei alterando fundo e cor das linhas e acabei produzinho a combinação em roxo. Fiz primeiro o com fundo cinza e depois num copy&past fui alterando e acabei no fundo roxo com linha em "neon" (este poderia até fazer parte da decoração da festa da filha da Maria Angélica). Vá lá, parece que as linhas estão acessas.

160712_zentangle3.jpg 160712_zentangle4.jpg

by Cláudio Luiz

Pois. É isso mesmo que vc pensou - as linhas dos dois desenhos são da mesma cor. Elas só parecem diferentes por conta da interação com a cor do fundo. Então, não deixem de dar um desconto quando as pessoas vierem com este papo de cor neutra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 15:52


Mais sobre mim

foto do autor


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D