Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



degrau

por sapoprincipe, em 05.03.24

Assisti duas séries na Netflix.
Não recomendaria nenhuma das duas. Embora dê para assistir se você não tiver muitas exigências.
Mas, uma coisa é possível ressaltar – a diversidade do elenco.
A luta das minorias tem surtido efeito.
Em “Nem tão perfeitos assim” (que se fosse melhor, poderia ser um Nelson Rodrigues) uma das pontas do triângulo amoroso é um ator não branco.

240305_serie-01.jpg

Há bem pouco tempo, qual a chance de todo o triângulo ser só de brancos?

Na série japonesa - A cozinha de Fermat – o elenco é mais diverso. Mesmo que as nacionalidades não sejam tantas.

240305_serie-02d.jpg

Ainda que a série justificasse, por ser a cozinha de um restaurante gourmet que teria especialistas em vários tipos de cozinha/comida, duvido que teriam esta preocupação. Então, na cozinha tem personagens japoneses, chinês, espanhol e francês.
O personagem francês é interpretado pelo ator Jua, um francês negro e o personagem espanhol por um ator japonês, descendente de colombianos, de sobrenome Fernandez.
Mesmo que seja só um apelo comercial, já que a Netflix exibe as séries para o mundo todo, é bom ver a diversidade.

240305_serie-02c.jpg

Tem também uma confusão. Vi gente perguntando pela internet se A cozinha de Fermat era BL. Não sei se por conta de ser uma adaptação de mangá ou por uma das fotos de divulgação. Mesmo que a mão fique claro que é photoshop – mal feito. Embora tenham cenas, também, que fica parecendo que os dois irão se pegar em algum momento. Sem contar os dois personagens que moram juntos e nas cenas que o chef vai lá cozinhar para eles, um deles sempre está sem camisa – que é para não sujá-la com o molho. O ator tem músculos para exibir, mas acho que se era pra ser padrãozinho, podiam escolher um mais bonitinho. rs

Imagens do google

publicado às 21:24

Aperte o play

por sapoprincipe, em 03.05.23

230503_lobas.png

Não sou uma pessoa muito musical. Muito menos sou daqueles que quando chegam em casa a primeira coisa que faz (após lavar as mãos) é ligar o som. Mas...
Minhas playlists têm sempre umas musiquinhas das antigas. Não tenho culpa de ter podido aproveitar uma excelente safra da mpb e o auge do roquinho nacional. Contudo, insisto em ouvir coisas novas – sempre brasileiras, diga-se de passagem.
Aí, num dia, pensando em fazer uma playlist, fiz uma sinapse maluca e decidi criar uma playlist fazendo ligação de uma música antiga com uma nova. Não pela sonoridade e sim por um ponto de ligação no tema, feito pela minha cabeça, claro.
Mal comecei e já quebrei a regra. Era pra ser uma antiga com uma nova. Pensei New York, New York com Não existe amor em SP. Aí lembrei de Aquele Abraço, do Gil. Também, antiga, mas não quis tirar NY. Depois tinha Homem com Agá e Amor rural (sim, tem até sertanejo), mas achei que Pagu, também, seria uma boa ligação. Deixei. Foi assim e Meu cupido é gari. Vermelho – da Fafá e da Glória Groove, é entrega de bandeja. A nova da Shakira entrou com A loba da Alcione, claro. Afinal, se ela não for fã da Marrom como o Axl Rose, um fã dela devia enviar a dica. Ela vai amar.
E por aí segue a lista.
Vou para por aqui senão minha loucura vai ficar muito exposta. rs

publicado às 20:40

flecha

por sapoprincipe, em 14.02.23

230214_mondoArt.jpg

Mondo Art

Enquanto não aparece o certo, me divirto com o errado, mas...
"Vem, vem, vem
Que eu tô facin, facin demais
Que eu tô facin, facin demais
Mas não me entrego pros caretas, caretas, não"

Lamparina

publicado às 20:20

brincos

por sapoprincipe, em 07.02.23

Sei bem que acessório é diferente de assessoria.
Ter alguém para ajudar é sempre bom. Só que as equipes de assessoria neste país na maioria das vezes são falhas, não?
As desculpas publicadas por personalidades e empresas quando pegas sendo preconceituosas ou tomando posições políticas equivocadas são lastimáveis. O “peço desculpas aos que se sentiram ofendidos” é péssimo. Somos nós que somos burros e não entendemos a bela mensagem emitida pelo grande gênio sensato.
Agora, tem uma coisa bem mais prosaica que me irrita desde a pré-história. Marília Gabi Gabriela ainda fazia sucesso na tv aberta e nem pensava em ter instagram para manter contato e ganhar “biscoitos” do público. Por que cargas d’água um assessor não mostra uns trechos do programa que o famosinho irá participar? Hoje em dia isso é muito fácil. Até entendo a vontade de ser educado, mas mentir – nem sempre – é ser educado. Dizer que adora o programa e assisti sempre e depois ficar surpreso com a dinâmica ou com aquela pergunta feita em todos os episódios é dose.
Acho ridículo, mas até sei a resposta – quem faz tv e agora podcast/videocast - não assisti tv e podcast/videocasts.
Por isso a Sophia Abrahão ganhou um fã. rs Mostrou simpatia, carisma, beleza e bom senso quando foi ao Podpah. Disse que assistia os “meninos” e apesar deles mesmo duvidarem, conseguiu durante o programa citar vários momentos com outros entrevistados mostrando que não havia mentido. (aplausos) E pelo jeito nem foi trabalho da assessoria.
As assessorias estão precisando de uma assessoria com urgência. rs

NB - eu preciso de uma assessoria em português

publicado às 21:00

censura

por sapoprincipe, em 13.12.22

Não sei se foi só o pudico do mininU mark ou burrice da IA ou preconceito mesmo.
O feissy barrou a minha domingueira do dia 11. Isso porque a Helê me enviou a imagem que estava postada no instagram – que, também, é do meninU mark.
Nunca escolha uma foto “explicita”, por princípios meus. Podem ter confundido o braço, já que está entre as pernas? Podem. Ou é a cor da pele do belo modelo (já não houve denúncias sobre câmeras de identificação não reconhecer bem rostos negros?).

221213_censura.PNG

O pinteret, também, deu o ar da graça esta semana. Quando começou a censura no Pinterest, parei de usar. Não apaguei meu perfil, mas não postava mais. Depois, por conta de uma pesquisa para um cliente, acabei entrando para ver uma imagem e, vez por outra, voltei a postar alguma coisa.
Agora, já é a segunda vez este ano que censuram uma imagem que postei. Isso porque já estava há anos na minha página. Só que enviam o aviso com a imagem acima. Pode ser burrice minha, mas não ficou claro, pra mim, se há alguma forma de ver a imagem.
Dizem que viola as diretrizes da comunidade, mas sem ver a imagem claramente não consigo saber nem o que é ou o que poderia violar.
E como disco arranhado, voltarei a repetir – já podiam ter criado um filtro para as imagens. Quem não que ver nudez, escolheria não ver nas configurações e as páginas e imagens com nudez não seriam exibidas pra elas e quem posta esse tipo de imagem teria que marcá-las. Esqueceu de marcar 3 (?) vezes, todos as imagens passariam a ser exibidas só no modo restrito. Simples. O difícil é convencer os pudicos que eles podem ver as imagens angelicais e de família e as outras pessoas podem ver todas – inclusive nudes. rs Afinal, não basta eles não verem, é preciso impor a infelicidades a todos.

publicado às 19:07

estante

por sapoprincipe, em 26.10.22

221026_livro.png

“Quem tem um amigo tem tudo” já disse o grande Emicida.
Quem tem a Vera Guimarães como amiga tem mais.
Foi ela que me deu “História da Violência” – Édouard Louis de presente.
Comecei a ler, mas a tensão da obra mais as eleições me fez dar uma pausa. Não é uma leitura exatamente leve. Ainda mais pra mim.
Retomei. Gostei muito. Gostei sobremaneira da forma como ele conta a história. O final não fez vibrar o uau! que eu vinha fazendo e faço pelo livro como um todo.
Além do outro trecho que já postei e outros mais que marquei no livro, tem este trecho:

“As mentiras me salvaram mais de uma vez. Se eu for pensar, muitos momentos de liberdade da minha vida foram momentos em que pude mentir, e por mentir quero dizer resistir a uma verdade que tentava se impor a mim, aos meus tecidos, aos meus órgãos, uma verdade já estabelecida em mim, às vezes havia muito tempo, mas que tinha sido estabelecida em mim pelos outros, de fora, como o medo que Reda havia inoculado em mim, e eu percebia que as mentiras eram a única força que me pertencia de verdade, a única arma na qual eu podia confiar, de modo incondicional. Eu me deparei, no trem vindo para cá, com esta frase de Hannah Arendt, que não repeti para Clara, que zomba de mim quando falo de filosofia; Arendt escreve: "Em outras palavras, a negação deliberada da realidade - a capacidade de mentir - e a possibilidade de negar os fatos - a capacidade de agir - estão intimamente ligadas; ambas provêm da mesma fonte: a imaginação. Porque não é natural que sejamos capazes de dizer que 'o sol brilha' quando está chovendo [...]; isso indica que, ainda que estejamos aptos a apreender o mundo pelos sentidos e pela razão, não estamos inseridos nele, ligados a ele, como uma parte inseparável do todo. Estamos livres para mudar o mundo e nele introduzir a novidade". Minha cura veio daí. Minha cura veio dessa possibilidade de negar a realidade.”

pág. 156

Neste momento em que mentiras foram contadas/postadas durante este governo horrível para manipular o povo e volta a ser usada de forma contundente, mais uma vez, nestas eleições é difícil destacá-la.
O trecho me fez lembrar de minha madrinha dizendo – falar a verdade é falta de educação. Como eu era pequeno e estava na fase do catecismo e ouvindo sempre – mentir é pecado – fiquei como o meme do John Travolta, até conseguir elaborar que não falar a verdade não é necessariamente mentir. Ou mentir como ele coloca no livro que passa por ele ter que omitir sua crise, para tentar superá-la ou em outros momentos de sua vida que tem que esconder sua orientação sexual é outro ponto.
O pessoal diferente do público.
O pessoal diferente do todo.

publicado às 23:24

ponteiros

por sapoprincipe, em 13.10.22

“Minha vida se transformara em horas. Eu disse a Clara pela manhã que não tinha conseguido preencher o espaço brutalmente liberado pelo fim dos horários marcados, que me parecia impensável, para não dizer impressionante, ter conseguido, nos anos anteriores, encher o tempo de um dia, desde a manhã ou ao menos do meio-dia, hora habitual em que abro os olhos, até a noite. Vivia meus dias descontando permanentemente as horas, pensava: Mais de cinco horas até o fim do dia, mais de três horas...”

História da Violência
Édouard Louis

Nem terminei o livro ainda, mas esse trecho está a minha cara. Quando as coisas começaram a voltar ao “normal”, vieram as eleições e o ritmo desandou de novo. Os dias têm uns buracos, umas noites mal dormidas que se prolongam.
Agora, contando as horas pra chegar dia 30 e depois irei contar os dias pra chegar 2023.

publicado às 13:13

espelho, espelho meu...

por sapoprincipe, em 28.09.22

220928_esp.png

via google

Meu espelho me ama.
Se fosse malzinho (rs), poderia perguntar ao espelho: espelho, espelho meu, existe... ele não precisaria mentir, conheço muita gente linda. Mas, com certeza, ele me reflete mais bonito. Coisa que nenhuma câmera fotográfica consegue.
Ele me entende. Nos dias bons e nos dias ruins.
Sempre me espanto com a burrice da IA e dos algoritmos. Quando o meninU mark no feissy me indica alguma coisa, erra. O instagram pouco acerta. O Pinterest quando manda um – estas ideias têm a sua cara – me pergunto sempre: o que eu fiz para eles suporem que tenho tanto mau gosto?
Este papo todo me ocorreu por que uma amiga me pediu uma foto e sou um desastre com selfies. Só consegui relaxar em relação às fotos quando incorporei a fala de uma amiga: fotografia é pra gente rir. Até porque não tenho muito mesmo o que fazer com as minhas.

publicado às 13:13

que dia é hoje?

por sapoprincipe, em 09.08.22

220809_panetone.png

meu desejo que 2023 chegue logo é tão pequeno
que, hoje, fui ao supermercado e
comprei um panetone.
rs

publicado às 18:00

idade

por sapoprincipe, em 26.07.22

Fiz esta postagem, no feissy, no dia 2 de julho. Depois, pensei em trazer pra cá. Só que o fato de não ser herdeiro e ter que trabalhar atrapalha muito a vida social e o convívio nas redes. rs

Abri o youtube e acabei assistindo um trechinho do saia justa com a claudia raia que eles disponibilizam nas redes.
Não sei se foi intencional ou o corte é feito sempre do mesmo bloco, enfim, gostei de não estar lá a parte "fofoqueira" que seria um caça clique.
Todavia, vim mesmo comentar a fala da raia, que eu acho engraçada, diz algumas coisas legais e outras vezes cai numas m...
Os últimos destaques que tenho visto dela na midia são sempre destacando os 50 anos e a luta contra o etarismo. Aí, vai pra tv falar: parei nos 15. Sou animada como um jovem... adolescente é sempre animado. Oi? É assim que é lutar contra o etarismo? Tenho 50, mas continuo jovem. Vai à m...
Logicamente, que com o avançar dos anos tem um desgaste da máquina. Fazer algumas atividades será mais difícil, of claro. Contudo, como tudo na vida, é relativo. Tem pessoas da minha idade, que adoram academia, praticam atividades físicas, estão com o corpo todo muscolozinho, fazem mil atividades e tem uns adolescentes tendo que ser arrastados pra fazer o que quer que seja. Lutar contra é, pra mim, não limitar atividades ou possibilidades por conta da idade. Ter idade e experiências pode ser apenas a possibilidade de resolver algumas questões mais rápido, enxergar por outros ângulos. Seja estar nas redes ou fazendo tricô é só questão de escolha (muitas vezes de privilégio, eu sei), não de idade.
Já me poupei da polêmica por ser com uma pessoa que gosto. Esta história de queria ser sempre jovem... ainda não se deram conta que nascer, passar o tempo, envelhecer e morrer é o ciclo da vida?
Quer ficar sempre jovem? Escolha a sua melhor foto pro avatar, dá um tiro no c* e pronto, será para sempre jovem.
Bem sei das desvantagens do desgaste, mas, também, é aquela coisa, eu sei por experiência o que é ser jovem (mesmo que algumas pessoas esqueçam e fiquem com esta balela de que a adolescência é ótima), os jovens é que ainda não sabem como é ser velho. Dar um tiro no c* pra ficar jovem para sempre, tirará a possibilidade de saber. É só uma questão de escolha.

NB – A Tina tem feito uma discussão muito boa sobre etarismo para mulheres entorno dos 50.
Que diga-se de passagem é mais pesado do que para os homens.
fiftinah

publicado às 15:00


Mais sobre mim

foto do autor


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
  248. 2005
  249. J
  250. F
  251. M
  252. A
  253. M
  254. J
  255. J
  256. A
  257. S
  258. O
  259. N
  260. D


Links

Os meus links