Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



cuidados

por sapoprincipe, em 04.03.21

210304_I-Care-a-Lot.jpg

Apesar da indicação de "eu me importo" (I care a lot - netflix), não cliquei logo em incluir à minha lista.
Depois, vi um tuiti da Rosana Hermann dizendo que não havia gostado. O enredo... isso e aquilo. Ops, não vou nem colocar na lista mais. Embora, comentários de pessoas da área e de críticos são sempre complicados. Da área... se fosse ela a escrever, ela faria diferente, of claro*. Críticos - aí, esta solução já é batida. Assistimos aos 300 filmes que ele assistiu para acharmos a solução batida? Não. Então...
Aí, vi minha amiga Mari Aldrigui sugerindo o filme. Voltou pra lista.
Como não assisti de pronto, vi um post do Alexey comentando que havia gostado, inclusive do fato da personagem principal ser lésbica e má. Que estava cansado de personagens LGBTTA+ bonzinhos e sofredores. Sofredores, eu também, bonzinhos eu ainda não.
O filme é um drama cômico que conta a história de uma mulher (Rosamund Pike**) que junto a lei ganha o direito de ser "tutora legal" de idosos a quem rouba descaradamente. Apesar de estar acostumada a responder filhos que reclamam, ela acaba tentando roubar uma senhorinha que tem um filho um pouco mais caloroso, digamos.
Lógico que o fato da mulher ser linda, educada, elegante não passa despercebido e o caso de ser lésbica é apenas mais um dado, que não é questionado uma vez se quer.
Lógico que não dá para achar que isso não foi intencional, considerando que o juiz (sempre enganado) é negro, que o mafioso é um anão (Peter Dinklage**), e o assassino de elite é uma mulher. Não pode ser assim? Pode, mas que não é o que vemos normalmente nos filmes, não é.
O que o diretor quis com isso não alcancei de todo. Foi só para mostrar que as pessoas são múltiplas? Tentar amenizar a história pesada invertendo uma pouco a lógica? Dando um ar de comédia? (eu dispensaria a parte quase pastelão dos mafiosos. Acho que ele poderia ter sido mais criativo).
Enfim, "foi divertido"? dá para assistir, mas sabendo que é baseado em fatos reais podemos concluir que continuamos falhando enormemente.

NB - * - of claro - copyright Frida Helê
- ** Rosamund Pike e Peter Dinklage estão muito bem.

publicado às 18:30

balaio de gato

por sapoprincipe, em 25.02.21

Como já disse, assisto bbb pelos posts e tuites de amigas e amigos. Então, minha avaliação é sempre capenga, pois tenho pouca visão do todo.
Já a saída da Karol Conká tem posts, tuites e textões.
Como fã, gostaria mesmo que ela se entendesse e conseguir emergir.
Será bem difícil avaliar o resultado, já que em público ela não era aquele "monstro" que apareceu no bbb. Embora, não tenha faltado, agora, várias pessoas dizendo que ela era assim no trato das pessoas que lidavam com ela na carreira. Vi, inclusive, um comentário da ex empresária que teve problemas.
A saída do jogo era previsível. O Alexey, que já participou de um reality, tem uma leitura boa a respeito. O público torce pelos oprimidos. No caso dela que uniu esquerda e direita na torcida e votação pela saída, acho que tem algo mais. As atitudes dela na casa justificam? Sim. Mas, acresceu a isso raça, gênero, o momento desesperador do país, a vontade de colocar a raiva pra fora, acho eu.
Entra aí, também, a raiva do chefe. Fico pensando quantas vezes ela não teve que falar alto e bater o pau na mesa pra ter controle e chance na sua carreira. Também, fazendo um paralelo com a Anitta, outra que não é pêra doce, mas são cantoras de sucesso e parecem ter muito controle sobre suas carreiras e se arriscam. O quanto não tem aí do mundo dito masculino.
Achei bem legal também um tuiti que uma amiga retuitou de um psicanalista (?) que dizia, meio que comentando esta onda de que a Karol devia fazer análise, que terapia não é pra todo mundo. Que o fato de fazer terapia não significa que ela irá sair de lá uma santinha. Inclusive, que na terapia as pessoas podem se reconhecer, achar que é aquilo mesmo e que querem continuar assim mesmo. Pois. Concordei muito. Lembrei logo da fala - o povo precisa de educação. Sim, seria bom. Contudo, isso não será garantia de nada. Quem comanda o país no momento não são iletrados. O juiz e promotores que burlaram a lei por que queriam um resultado (e só valia o resultado que queriam) não são uns iletrados. A delegada que armou um circo na detenção do Reitor, que acabou por levá-lo ao suicídio, não é uma iletrada. Então, educação e terapia é bom quando tem qualidade e toda uma sociedade em volta comprometida com direitos humanos e um mundo civilizado.

NB - Fui escrever a data hoje e escrevi outubro. Onde eu ando com a cabeça? rs

210225_karolconka.jpg

photo Carlos Sales

publicado às 13:15

cronômetro

por sapoprincipe, em 16.02.21

Uma coisa que me irrita é alguém dizer que fiz uma coisa que não fiz. Chego a perder as estribeiras.
Outra coisa que não gosto é se apropriar do trabalho dos outros. Daí, me irritar com a excessiva proteção na internet nos últimos tempos (os santos pagando pelos pecadores. odeio esse ditado). Se não tenho talento pra quase tudo, posso pelo menos levar o crédito pelo bom gosto da escolha. rs
Não conseguia definir se faria um post de carnaval ou não. Aí, vi um post da minha amiga Andreia. Uma selfie linda, uma maquiagem que Milton Cunha descreveria como deslumbrante, um verso de Tristeza, por favor vá embora, com animação feita provavelmente num app que não tenho, com certeza. Pensei... ops!
Tentei fazer a minha versão - sem selfie por que não tenho aquele rosto lindo. Falhou a primeira tentativa, a segunda, a... aí, como sou taurino (rs), simplifiquei ao máximo e vou postar.
O acréscimo do verso de Caetano é por que esta escola do coiso já estourou o cronômetro há tempos. Já era pra metade da população estar vacinada. Depois de escolhas tão erradas, acho que deveriam correr para liberar investimentos em cientistas brasileiros para pesquisarem novas vacinas por que as mutações irão exigir.
Como disse um amigo, pra quem enviei as primeiras imagens pedindo opinião (sou dessas), falta alegria, mas... à luta.

210216_posts_carnaval.png

publicado às 15:16

mesmo que seja

por sapoprincipe, em 15.02.21

estava ali no cantinho conversando com uma amiga maravilhosa e o assunto saiu um pouco do papo inicial e foi parar em masculino - feminino.
ao que eu disse - é fácil entender Simone (Não se nasce mulher, torna-se mulher).
Continuou o papo e ela disse: exato isso aí, o que a gente nomeou de feminino e masculino são aspectos que podem ser comuns aos gêneros.
fechei o bate papo, pois ia fazer outra coisa e liguei o som. começa a tocar Marina Lima cantando - você precisa de um homem pra chamar de seu, mesmo que este homem seja eu.
eu ri, né? fazê o quê com as lambadas da vida.

.

publicado às 13:31

divã

por sapoprincipe, em 11.02.21

Meu sonho precisa conversar com Freud.

               "O prazer é um sentimento super valorizado.
               Sentimos alegrias limpando nosso vômito fingindo ter sentido prazer
               bebendo muito ontem à noite."

Já não sei como esta frase entra no sonho. Se estava num livro, se era alguém escrevendo ou falando. Não lembro.
Não lembro nem se a frase estava assim redigida. Falha minha que não deixei um bloquinho do lado da cama, para estas eventualidades, como bem sugere a Fal.
Como o sonho não vai pro divã para poder culpar a mãe, a culpa vai ficar sendo da Fal mesmo.
Mas que eu ri, ri. rs

publicado às 17:00

telona branca

por sapoprincipe, em 09.02.21

No final de semana queria ver um filme pra relaxar.
Como eu havia assistido alguns filmes indianos, o algoritmo da netflix colocou em destaque "O Trigre branco". Pensei em musiquinha e dancinhas e cliquei. Ledo engano.
A pobreza e o ambiente indiano sempre me assustam. Não sei se é por estarem em close. Por que aqui não é muito diferente. Não temos um sistema de castas para justificar as separações de classes, mas elas acontecem.
Lá, como cá, diferenças de classe, política, milícia, subornos, exploração e está tudo no filme.
Se quiserem ver um bom (não é excelente, mas é bom) filme, assistam.
Porrada.

210209_tigre-branco.jpg

publicado às 18:00

fórmula

por sapoprincipe, em 03.02.21

Post que fiz no feissy e decidi trazer pra cá.

Ainda espero o imprevisto.
O imprevisível.
O impensado.
Na política. E não só.
Ainda temos um ano e 9 meses, programados. E um ano e pouco para articular um movimento e apresentar um nome que possa ser uma alternativa viável. Mas, os caminhos são tortuosos.
Manipulações acontecem. As vezes resultam, outras vezes não.
Caindo para o segundo assunto mais comentado do dia, podemos dizer que não existem fórmulas para o sucesso.
Ano passado, por conta da pandemia o sucesso do BBB teve uns números a mais. A Fazenda conseguiu também seus pontos altos no embalo.
Começa o ano, novo BBB e a expectativa, ainda temos uma pandemia (e uma exaustão, também por conta dela), era de um grande sucesso.
Como a ganhadora do ano passado foi uma negra e o Movimento Negro vem numa batalha grande e com cobranças (legítimas), o número de participantes negros aumentou. Acrescenta não um, mas 2 gays para dizer que têm muita diversidade. (tem por um lado e ainda falta por outro. o padrãozinho ainda tá lá em cheio).
Alguns artistas badalados, descolados, militantes e... desastre.
O filho bonitinho de artista idem, que iria comer todas, se mostra um chato (nem aprender os conceitos que lhe foi dado em aula antes de começar o reality conseguiu).
A descolada Karol está sendo um desastre. Um dos potenciais vitoriosos deu uma escorregada e a punição veio como se ele fosse responsável pela miséria do mundo.
Pelo jeito tinham uma fórmula, mais pingaram uma gota a mais de algum ingrediente ou algo estava estragado e eles não perceberam na seleção.
E é essa "gotinha" que espero que apareça na política, por que esta piora que o momento apresenta vai ser dose.

210203-uol.PNG

Adendo.

Esta visão de que já perdemos na política só cria desânimo. Quando a bola ainda está em jogo - mesmo que tenhamos já perdido várias partidas.
A confirmada "vitória" do candidato apoiada - com compra milionária - é mais um desastre. Mas isso minou bastante as outras duas candidaturas marketeiras já tidas como certas. Fez jogo de cena (como estava nas manchetes do uol) e voltou atrás pra se dizer negociador. É ficar atento, pois irão acontecer escorregadelas. Ou uma ação que saia do trilho (penso, como exemplo, a invasão do capitólio, que foi pensada, provavelmente, como uma demonstração de força e acabou num desastre transmitido ao vivo. Com a condenação de meio mundo e da midia - que no nosso caso complica, visto que a midia aqui faz só jogo de cena pra esconder todo apoio ao governo para conseguir a aprovação da legislação liberal - foi por terra a tentativa de apoio pro delírio). Não é porque resulto uma vez, que irá, necessariamente, resultar uma segunda. Não é exatas, é humanas.
Mesmo sem ânimo, segue o jogo. Miçanga.

publicado às 18:18

praxe

por sapoprincipe, em 13.01.21

Como de praxe.
Fim de tarde - início da noite, planos de várias atividades para o dia seguinte.
Ginástica. Comida especial no almoço. Trabalho.
A noite chega.
Jantar.
Assistir uma série pra relaxar. Um episódio. Dois episódios. Três episódios. Ah, só mais um. Não! preciso saber como vai desenrolar isso. Só um pedacinho do próximo.
Assim o dormir cedo já se foi.
Dia seguinte.
Ai, preciso dormir mais um pouco. Só um pouquinho.
Se arrastar da cama. Ginástica, que saco. Banho. E mais nenhum ânimo para cumprir o planejado.
Pandemia. Rotina (ou mais preciso, falta de).

publicado às 19:26

faxina

por sapoprincipe, em 09.12.20

201202_faxina.jpg

Homem
Homem, branco, cisgênero
Esse é um dado que me vem sempre que faço faxina. [ô, coisa chata]
E quando ecoa na minha mente a voz de algumas amigas reclamando que o marido não limpa direito (quando ajudam, né? Varrem, mas não limpam a vassoura. Lavam a louça, mas se esquecem da pia. E devem achar que o fogão é autolimpante.) quase me sinto hetero. eheheheh

NB - Contém ironia. Apesar de me confundir algumas vezes,
bem sei que se gênero e orientação sexual 
definem privilégios
são só questões culturais e não pelo fato em si.

publicado às 15:00

menu

por sapoprincipe, em 02.12.20

Tem a prevenção e tem o planejamento pra caso o pior aconteça.
A inteligência pragmática do filho da minha amiga Dê.
"O Dudu me disse que se pegasse covid e ficasse sem paladar ia aproveitar pra comer um monte de coisa saudável, que tem um gosto horrível."
Há de se fazer limonadas.
eheheh

publicado às 17:00


Mais sobre mim

foto do autor


Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D